Um escândalo raro revelado no Vaticano

Bergoglio no metrô em Buenos Aires indo visitar os moradores de rua
Desta vez, um santo escândalo. Na escalada da noite, jornalistas teriam revelado uma atitude do papa que poderá  chocar a muitos, e que será manchete nos principais jornais do mundo.

Assim como a opção de Jesus pelos pobres foi um escândalo para os judeus, a atitude do papa Francisco - que estaria saindo escondido na escalada da noite, para evangelizar os mendigos da periferia de Roma - é um grande escândalo para o mundo de hoje, sobretudo, para muitos cardeais, bispos e padres.

As palavras comovem, os exemplos arrastam. Isso mesmo. Francisco, com o seu exemplo, tem revelado para todos nós um jeito coerente e ousado de ser cristão nos dias de hoje.

Num mundo extremamente excludente e desumano, marcado por uma cruel desigualdade social e por tanta injustiça, cheiraria a hipocrisia nos identificar por aí como cristão se não nos colocássemos na luta em defesa da maioria do povo marginalizado, que tem sua cidadania roubada e seus direitos negados.

Para nós, pode parecer encandaloso, invés, para Francisco, não passa de algo ordinário na sua vida. Antes de ser papa, Bergoglio passava seus finais de semana nas favelas de Buenos Aires, nas capelas, associações e centros comunitários, não somente administrando sacramentos, mas engajado politicamente nas atividades sociais que promovem os pobres a se tornarem sujeitos da mudança que desejam.

As atitudes do papa vêm reforçar aquilo que ele acaba de escrever na sua primeira encíclica "Evangellii Gaudium". Diz ele: "Hoje e sempre, os pobres são os destinatários privilegiados do Evangelho". Nenhuma interpretação deve debilitar esse "vínculo indissolúvel entre a nossa fé e os pobres. Não os deixemos jamais sozinhos!", exorta o papa.

Atenção! Possíveis escândalos altamente revolucionários e libertadores ainda poderão vir. Estamos apenas nos primeiros minutos da maior primavera da Igreja dos últimos séculos.

Comentários

  1. Um "escândalo" mesmo!

    Após o papado de João Paulo II, carismático e que buscou sempre a união dos povos, Jorge Bergoglio tem o perfil mais próximo daquilo que buscamos em um pastor: Simplicidade e caridade.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa escândalo, mostrar a diferença da novidade que é Jesus, isso o Cardeal Bergóglio fazia e continua a fazer no Ministério Petrino! Terrível é presenciar reações de padres que cederam ao "mundanismo espiritual" conservadores de casca e que criticam o Papa por mostrar Jesus nos atos! EXCELENTE BLOG, TALVACY.

    ResponderExcluir
  3. Claro que choca aos restante dos que se dizem Pastores e missionários!!!! Nenhum tem ou teve esse gesto humano e simples de realmente Ser como Jesus. Sem maiores alardes ou notas de Jornais, radio ou TV. que fizesse a imagem dele ser de um politico ou um mascarado. Ele é o Jesus humano dos dias de hoje e faz a diferença por ser assim mesmo e nada fez mudança nele, por ser PAPA. Estar seguindo o caminho de JESUS, nos dias de hoje, e vai incomodar demais...!!!!!!!! Estou preparando tambem uma carta-relatorio, de algo que Ele precisa saber e mandar ate, fazer uma auditoria ou uma CPI- nas paróquias, pra melhor se inteirar dos filhos que tem e que se dizem Pastores e PADRES....me aguarde.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CONVITE - Festa de Nossa Senhora de Fátima 2014

Por que um meio de comunicação quente é frio? McLuhan explica.

Redes socias x comunidades virtuais. Qual a diferença?