Hoje, o que significa Jesus ressuscitou?

A Boa Notícia deste Domingo de Páscoa é: Ele não está mais aqui, o Filho do Homem que vocês mataram, sexta-feira passada, ressuscitou. Sim, Jesus Cristo ressuscitou verdadeiramente, aleluia! 

O que significa o fato de Jesus ter ressuscitado? Perguntou o papa Francisco antes da benção que ele deu ao mundo, nesta manhã. Significa que o amor de Deus é mais forte do que o mal e mais forte do que a própria morte; significa que o amor de Deus pode transformar a nossa vida, pode preencher o nosso coração, machucado pelo aridez do deserto. 

E aí nos perguntamos. Quais são os desertos que habitam dentro da gente, que ferem o nosso coração? 

O deserto do vazio existencial, da ausência de Deus, da insensibilidade diante do sofrimento do outro, da falta de amor e de compaixão pelo próximo, especialmente, os mais marginalizados. 

Nesse sentido, na páscoa de Cristo, somos convidados a fazer a passagem desse homem velho, vazio de sentido, de fé, escravo do pecado, para o homem novo, ressuscitado, livre. 

Disse o papa que, quando Deus ressuscitou Jesus, ele transformou por completo a vida do seu filho; Jesus não voltou ao seu corpo de antes, à vida terrena, mas entrou na vida gloriosa de Deus, alimentando assim o nossa esperança e o nosso futuro, o futuro da humanidade. 

Olhando para mim mesmo, pergunto-me: que transformação precisa ser feita em minha vida? Em que preciso ressuscitar, mudar, melhorar? 

Na páscoa somos convidados a fazer a mesma transformação que Jesus fez: matar em nós o homem corrupto para poder renascer um homem regenerado; matar em nós o homem escravo de si mesmo, dos seus desejos, escravo dos seus bens, do seu trabalho, escravo de seus pensamentos preconceituosos e reducionistas, escravo da mediocridade, do consumismo, da pobreza de espírito, e ressuscitar um homem novo, um homem livre, um homem humanizado e divinizado. 

Para melhor perceber a mudança que o maior evento do cristianismo pode fazer na nossa vida, poderíamos contemplar a ressurreição de Jesus a partir de duas óticas: aquela subjetiva, pessoal e na ótica social, comunitária. 

Contemplando a ressurreição de Jesus na ótica pessoal, se ressuscitamos verdadeiramente com Cristo, acontece/aconteceria em cada um de nós a vitória da esperança sobre o medo; do amor sobre o ódio, da concórdia sobre a desunião e a discórdia; da verdade sobre a mentira e a falsidade; a vitória da paz sobre a violência; da libertação sobre a escravidão. Enfim, a vitória da vida digna sobre a morte. 

Se contemplamos a ressurreição na ótica comunitária e social, acreditar na ressurreição de Jesus é acreditar na ressurreição dos pobres e marginalizados, na ressurreição social, política e cultural; é acreditar na ressurreição da justiça, da ética e da dignidade; acreditar na ressurreição de Jesus é acreditar na ressurreição dos direitos humanos, da igualdade social e da política do bem viver. Acreditar na ressurreição é caminhar na estrada perigosa de Jesus, que por fidelidade ao Reino de Deus, foi crucificado e morto. 

Eis aí a passagem que todos nós somos convidados a fazer ao celebrarmos a páscoa de Jesus. 

Concluo, destacando um pensamento do Papa Francisco na sua mensagem pascal. “Acolhamos a graça da Ressurreição de Cristo! Deixemo-nos renovar pela misericórdia de Deus, deixemo-nos amar por Jesus, deixemos que a força do seu amor transforme também a nossa vida, tornando-nos instrumentos desta misericórdia, canais através dos quais Deus possa irrigar a terra, guardar a criação inteira e fazer florir a justiça e a paz”. 

Abrir-se, acolher o amor de Deus em nossa vida. Deus se aproxima de nós, não para nos condenar, nem, muito menos, cobrar nada. Ele se aproxima de nós para nos amar incondicionalmente, com amor maternal. 

Deixemos, portanto, que Ele nos cuide e nos faça homens novos e mulheres novas. Com dizia o papa ontem, na vigília pascal, não tenhamos medo das surpresas de Deus. Ele constantemente nos apresenta novidades, surpresas agradáveis. A maior de todas foi aquela que as mulheres receberam ao chegar no sepulcro. Jesus não está mais aqui, Ressuscitou, verdadeiramente, aleluia. 

Uma Feliz Páscoa a todos e todas. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONVITE - Festa de Nossa Senhora de Fátima 2014

Por que um meio de comunicação quente é frio? McLuhan explica.

Redes socias x comunidades virtuais. Qual a diferença?