"Universidade: instituição central no mundo em que vivemos"

O Blog Novos Medios.org, destinado a estudos de jornalismo e comunicação, mantido pela Faculdade de Comunicação da Universidade de Santiago de Compostela (Espanha), disponibilizou um resumo de uma palestra realizada por Manuel Castells no dia 15 de outubro deste no Centro de Estudos avançados, em Santiago de Compostela.

Manuel Castells dispensa muitas apresentações. É professor de comunicação e tecnologia em inúmeras universidades européias, além de escritor de diversos livros nessas áreas. Na palestra realizada, Castells discutiu sobre a “universidade na era da informação” e, atribuiu a essa, o papel de “instituição central do mundo em que vivemos”.

Segundo ele, a universidade teve seis funções ao longo da história:

- A universidade que produz valores e legitimação social, própria da fase em que as escolas teológicas, centravam a atividade universitária;


- Função de seleção de elites, através da educação e da configuração de sua rede social;

- A universidade formadora de profissionais da própria universidade tecnológica;

- Função de produção de conhecimento. Castells fala em universidade científica, função que começou a desenvolver-se somente na segunda metade do século XIX na Alemanha e, depois, importada pelos EUA no final desse mesmo século;

- A universidade educadora de massas. A universidade generalista, que estende o direito à educação universitária a todas as pessoas.

6. Função empreendedora. A universidade empreendedora gere a ligação entre o mundo empresarial e da produção de conhecimento, que se desenvolve no seu seio.

Poderia uma única universidade abarcar esse “universo” de possibilidades? Para Castells, não. A universidade deveria primar por algumas dessas funções, mas obrigatoriamente, “a excelência deve ser um dos primeiros fins da universidade, junto com a função de serviço público (que não implica, a exclusão das universidades privadas, que tenham também um boa trabalho de serviço ao público).

Interdisciplinaridade

Outro elemento exaltado por Castells foi a interdisciplinaridade como sinal de inovação. Ele defende com veemência a importância da interdisciplinariedade e da transdisciplinaridade na universidade. A formação libertadora e social se faz com a interação participativa e colaborativa das ciências estudadas.

"Aprender a aprender"

Hoje em dia, afirma Castells, as pessoas devem esforçar-se em "aprender a aprender em um mundo interativo". Enfatiza a necessidade da existência de centros que possibilitem uma formação virtual de qualidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONVITE - Festa de Nossa Senhora de Fátima 2014

Por que um meio de comunicação quente é frio? McLuhan explica.

Redes socias x comunidades virtuais. Qual a diferença?