Mossoró chora a perda de Monsenhor Américo

O Céu desceu sobre a cidade de Mossoró neste dia para buscar o seu novo morador: Monsenhor Américo Simonetti. A cidade toda tremeu com a notícia dessa viagem surpresa.

O hino de Santa Luzia, expressão e retrato de Monsenhor, foi tocado na rádio rural e cantado pelos fiéis na catedral. A cidade de Santa Luzia, em luto, chora a dor da despedida do seu pastor.

Não seria diferente. O exemplo é a maior dádiva que se eterniza na história de um pessoa. Um homem que fez de sua vida, uma doação ao serviço da Igreja e da sociedade. Pe. Américo entendeu que a vocação ministerial não se resume ao trabalho interno da Igreja.

Como professor da Universidade Estadual, conseguiu muito bem, integrar a sua vida, como padre a serviço da educação, dos valores éticos, da construção da cidadania. Entendeu que ser padre é traduzir o evangelho de Jesus Cristo em ações concretas pelos mais pobres, defendendo os direitos humanos, promovendo a igualdade e a justiça social.

Tudo isso, foi refletido nas ações de pe. Américo. Recordo aqui um grande trabalho social feito através da Rádio Rural. Nós, mais novos não recordamos muito bem, mas muitos dos nossos pais e avós aprenderam a ler pelas ondas da Radio Rural com o movimento de Educação de Base (MEB). Os simples agricultores do sítio, homens e mulheres escravos do analfabetismo, aprenderam a ler e a escrever.

Pe. Américo interpretou de forma fiel no seu trabalho pastoral a nova identidade do “Ser Igreja” apresentada pelo Concílio Vaticano II. Conseguiu se adaptar às novas mudanças litúrgicas, manifestou-se sempre atualizado em todos os documentos , encíclicas e vozes da Igreja católica.

Enfatizo, sobretudo, a sua leitura cuidadosa pelos documentos e cartas ligadas à Doutrina Social da Igreja.

Para Mossoró e região é claro, Monsenhor é o retrato de Santa Luzia. O sucesso da festa e a multidão que coloriza a cidade no dia treze de dezembro são conseqüências do esforço, da criatividade e da inteligência do Pastor á frente da Catedral.

Recordo dos momentos que pude estar com ele no período na festa de Santa Luzia. Quando os fiéis começavam a cantar o hino popular da Santa, Monsenhor se emocionava e, quando já não podia mais segurar a emoção por dentro, soltava-a com um forte grito: Mossoró com alegria, saúda a Santa Luzia!!”

Monsenhor foi ordenado em 1956 em Assu por Dom Eliseu Mendes e lá foi pároco até 1962. Em Mossoró foi pároco da paróquia de São Manoel e da Catedral de Santa Luzia. Por muitos anos foi coordenador da pastoral diocesana, diretor da Rádio Rural e Vigário Geral da Diocese de Santa Luzia.

Aqui de Roma, como irmão no ministério, expresso as minhas condolências e as minhas orações.

Amanhã, às sete horas da manhã, celebrarei com a minha comunidade uma missa em ação de Graças pela Páscoa definitiva do nosso pastor Monsenhor Américo.

Com afeto e pesar, pe. Talvacy Chaves


Comentários

  1. a cidade de mossoró tem que fazér uma belissima festa em hora a padre americo! (o senhór é o meu pastor nada mim faltará)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CONVITE - Festa de Nossa Senhora de Fátima 2014

Por que um meio de comunicação quente é frio? McLuhan explica.

Comunidade x Sociedade